10 julho 2007

"Ladrão que rouba ladrão..."

A gente passa por cada situação nessa vida, não é mesmo? Preciso declarar a minha indignação: por que tem gente que não se toca? Por que certas pessoas pensam que enganam as outras com tanta facilidade? Cleptomaníacos ou ladrões? Essa é a "discussão" de hoje.

Dia desses, ao reencontrar velhos amigos, fui surpreendida por uma situação que me fez relembrar algumas outras vividas no passado. Começamos a conversar sobre as travessuras que aprontávamos na adolecência. A mais lembrada foi quando tivemos que "invadir" a casa de um dos nossos amigos para "recuperar" o que ficou "perdido" (um celular) por lá. Foi uma aventura. Recuperamos!

Uma pausa para a explicação de tantas "aspas" na última frase: segundo o nosso amigo (o da casa invadida e que não sabe disso até hoje), sua irmão era cleptomaníaca. Não entendo nada sobre investigações, mas, alguns fatos me levaram a crer que não era nada disso. Pesquisei sobre o assunto e tive mais certeza ainda: "A Cleptomania caracteriza-se pela recorrência de impulsos para roubar objetos que são desnecessários para o uso pessoal ou sem valor monetário... Devemos estar alerta para ladrões querendo passar-se por cleptomaníacos. Dinheiro, jóias e outros objetos de valor dificilmente são levados por cleptomaníacos..."

Agora analisarei junto com vocês: o primeiro objeto que ela levou, ou que tivemos conhecimento, foi um celular. Desnecessário? Sem valor? Talvez para alguns. Para mim, não! Mas, como foi o PRIMEIRO, poderia até acreditar na doença, apesar de não entendê-la ainda. Por isso, sempre busquei me informar adequadamente sobre tudo o que acontece ao meu redor.

Tá, passaram-se os anos e descobrimos algo muito maior: em pleno carnaval a mãe da garota alugou uma de suas casas, na Barra, para um grupo de turistas. Acreditam que ela entrou na casa e "pegou" tudo de valor que tinha dentro? Os turistas, coitados, ficaram sem nada e nunca descobriram quem foi. A garotinha cresceu, já tem pra mais de 30 anos e nao trabalha. Vive de roubo e a família não se toca que isso não é doença. Tirem suas conclusões...

*Sem fotos por hoje, ok? Bjo e tchau!

P.S.: Não tenho foto com ele, mas, mesmo assim... PARABÉNS PRA KAKKO, O ANIVERSARIANTE DO DIA!

5 comentários:

Renata Almeida disse...

amiga juro q n li! priguiçaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
te amo viu? obrigada por me dar musiquinhas!
beijos!

duendepri disse...

véi, que mulher é essa?? Fala logo quem é pra eu me prevenir...hauhau!
Aliás como o povo sabe quem foi, que robou os turistas e nao denuncía...isso né ser cumplice, nao?
enfim...cada cabeca cada um...

beijoooooss

Mile disse...

Concordo com Pi, deveriam denunciar e são cumplices, sim!
Rapaz, eu já tinha telefonado pra mae, anonimamente (esa palavra existe?kkk), e tinha entregue essa safada!
Uma mulher de 30 anos já e ainda continua roubando! Tinha que colocar ela pra trabalhar e num psicologo tbm, afinal, se trata de uma doença, aí, já não sei se ela é culpada, ou se a doença justifica. Teria que analisar bem os fatos e conhecer melhor sobre a doença.
Mas, ela continua sendo ladra de qualquer forma!
Biu, avisa a Pi em "off" quem é pq Pi vai morar na barra e é uma turistinha!kkkk
beijos e gostei do tema de hj, só não gostei pq nao tem foto!

Recadinho pra Mila: Outro post!!!!!

Ivan disse...

concordo com prí. q bizarro isso!!! complexo

Camila Almeida disse...

véi...
mentir e roubar..naum cabem em nenhum lugar!!

a paciência se esgota...e sendo doença ou naum...tem uma solução...prisão, médico, terapia...

só naum ajudam ela pq naum qerem...

bj bibiuuu